Noivas de Portugal

A história de amor duradoura de Philip e Elizabeth

PARTILHE ESTE CONTEÚDO

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

NEWSLETTER

Todas as novidades da Noivas de Portugal no seu e-mail.

Philip e Elizabeth - Fotografia Reprodução Instagram

Philip e Elizabeth II protagonizaram, durante 73 anos, aquele que foi um dos casamentos mais duradouros da realeza britânica e da história mundial.

O romance teve altos e baixos, mas os dois mantiveram a relação com base no forte companheirismo e apoio mútuo que lhes era característico. Sabemos que é impossível ficar indiferente a uma história de amor tão única como esta e, por isso mesmo, damos-lhe a conhecer toda a trajetória deste par encantador!

Como tudo começou: o primeiro encontro

Embora se tenham visto pela primeira vez em 1934, no casamento da Princesa Marina, Duquesa de Kent, foi em 1939 que o verdadeiro encontro aconteceu. Aliás, segundo a rainha, foi no Royal Naval College, em Dartmouth, que existiu o primeiro contacto entre os dois, mesmo antes da Segunda Guerra. Foi então que, a ainda princesa de 13 anos, Elisabeth se apaixonou por Philip, de 18. Na altura cadete e em formação militar, o príncipe teria ficado responsável por cuidar de ambas as filhas do rei. Logo após o encontro, os jovens (primos em 2º e 3º grau) começaram a trocar cartas e em 1946, Philip acabou mesmo por pedir a mão de Elizabeth ao Rei George VI. Um ano mais tarde, o “conto de fadas”tornou-se ainda mais real e anunciaram o noivado ao mundo. 

O casamento de Philip e Elizabeth

O casamento da futura rainha e do tenente da Marinha Real britânica aconteceu apenas quatro meses após o anúncio. Foi a 20 de novembro de 1947, que o casal deu o nó, na Abadia de Westminster, unindo assim duas linhagens descendentes da rainha Vitória. A celebração contou com 2 mil pessoas e foi transmitida para todo o mundo.

O que muita gente não sabe, é que Philip teve de fazer alguns sacrifícios para poder levar o casamento avante. Abdicou, então, de todos os seus títulos da coroa grega e dinamarquesa, converteu-se ao anglicanismo, naturalizou-se como cidadão britânico, já que a sua origem alemã não agradava a família real e teve de adotar o apelido Mountbatten, nome herdado pelos seus parentes britânicos.

A coroação de Elizabeth

Coroação Rainha Elizabeth II - Fotografia: Reprodução/Instagram

Após a morte de George VI, em 1952, anunciaram Elizabeth como sucessora ao trono, aos 25 anos, e em junho de 1953, foi finalmente coroada rainha do Reino Unido – a rainha Elizabeth II. A coroação foi apenas mais uma prova de amor de Philip, que teve também de abdicar da sua carreira militar para passar a acompanhar a esposa nos deveres reais. Durante a cerimónia, o duque de Edinburgh ajoelhou-se e jurou ser “vassalo da vida e da integridade e da adoração terrena” da rainha.  

A família de Philip e Elizabeth II

O amor do casal deu frutos e logo após o casamento, em 1948, tiveram o primeiro de quatro filhos: Charles, que se tornou o herdeiro ao trono. A família continuou a crescer e Philip e Elizabeth tiveram mais três filhos: Anne, Andrew e Edward. Atualmente têm oito netos e oito bisnetos.  Elizabeth II e Philip com os quatro filhos O casal sempre foi reservado e resguardado nos elogios, mas o carinho e respeito mútuo sempre foram bastante claros! É do conhecimento de todos que o apoio do marido foi crucial para o sucesso do reinado de Elizabeth. O companheirismo constante e a união incondicional foram dois dos pilares que contribuíram para a construção de uma relação sólida e tão duradoura! O casamento que durou 73 anos e terminou com o falecimento de Philip, em 2021.  

Fotografias: Reprodução/Instagram

NEWSLETTER

Todas as novidades da Noivas de Portugal no seu e-mail.

REGISTER

Your personal data will be used to support your experience throughout this website, to manage access to your account, and for other purposes described in our privacy policy.

Publicidade

Entre em contacto connosco

Obrigado pelo seu interesse.

Entraremos em contacto consigo brevemente.